Férias de julho: dicionário de Inglês do Doug e temporada na fazenda – SDG 158 a 183

De 4 a 31 de julho de 2002 fiz os personagens de Só Dando Gizada passarem as férias de julho em duas frentes: Kunta embarcou para os Estados Unidos sem saber falar inglês, levando um “dicionário” elaborado por Doug (com todas aquelas gracinhas português/inglês conhecidas e outras que eu mesmo acrescentei de própria lavra).

Enquanto isso, coloquei Niquinha, Bobrinha e Doug na fazenda, confrontando o urbanismo dos meninos com o mundo rural – baseado em vários fatos reais.

sdg_0158_qui040702

Acima, uma brincadeira visual leve. Geralmente minhas tiras brincam mais no argumento, mas às vezes faço umas graças com desenho, como neste caso.

sdg_0159_sex050702

Existe uma cidade no Paraná chamada Avaí, assim como uma Ourizona, Paranácity – também tem Orizona em Goiás.

sdg_0160_sab060702

Mais uma vez, acima, uma piadinha visual que só funciona por causa do design do personagem e daquela coroa estranha da Estátua da Liberdade, que foi dada aos Estados pela França e, pra quem não sabe, foi projetada por Gustave Eiffel, o mesmo projetista da Torre em Paris.

sdg_0161_dom070702

Aqui começa a série de piadinhas com as palavras em inglês/português, no melhor estilo Djalma Jorge. Uma vez tentei explicar essas piadinhas para um americano e falhei miseravelmente, mas consegui ajudá-lo a pronunciar melhor várias palavras em Português (rs)sdg_0162_seg080702 sdg_0163_ter090702 sdg_0164_qua100702

Classe econômica é fogo mesmo!sdg_0165_qui110702

Esta é uma marca de Doug: se recusar a se divertir enquanto aprende. Ou a aprender enquanto se divertesdg_0165_sex120702

Quando meus primos paulistanos Gustavo e Estevan (o Ciccone, da Band SP) eram pequenos, foram pela primeira vez à chácara comigo e meu pai, e havia um bezerro ao lado da estrada. Um deles disparou: “Nossa, que cachorro grande!”… Na tira acima carreguei na tinta do fato real pra deixar a piada ainda melhor.sdg_0166_sab130702

Fato real: uma professora de Campinas me contou que em uma visita a fazenda o aluno, do ensino fundamental, claro, queria saber onde colocavam os saquinhos na vaca. sdg_0167_dom140702

Ah, as descobertas alegres da fazenda!sdg_0168_seg150702 sdg_0169_ter160702 sdg_0170_qua170702 sdg_0171_qui180702 sdg_0172_sex190702

OK,Bill Watterson tem uma tira parecida com a de cima, reconheço com orgulho de fã a inspiração.sdg_0173_sab200702 sdg_0174_dom210702

Os contrastes de paladar sempre são gritantes em viagens, em especial com crianças.sdg_0175_seg220702

A personagem Mimosa é uma das minhas favoritas desta série, com seus “Mu?” e o capinzinho na boca.sdg_0176_ter230702

Mais uma piadinha com as comidas em viagem e os contrastes de paladar. Como alguém que morou um ano nos EUA, eu também senti falta de arroz e feijão, mas não tenho nada a reclamar da culinária americana – nem da mexicana e da italiana, por sinal, já que minha primeira “mãe hospedeira” era craque nestas duas últimas também.

sdg_0177_qua240702 sdg_0178_qui250702 sdg_0179_sex260702

Nas tiras acima exploro o contraste dos gostos dos meninos bem como o maior contraste de Doug e Niquinha, o gosto pela escola. O desenho do meu ônibus “cometão” serviu ao propósito, mas creio que hoje o desenharia um pouco melhor (espero).sdg_0180_dom280702

A sinceridade de Doug, outra marca registrada.sdg_0181_seg290702

Essa piadinha acima eu usei nos EUA para zombar de mim mesmo, quando ainda estava bem cru no inglês. Foi um sucesso para um jovem humorista de 17 anos (rs).sdg_0182_ter300702

Esta acima é de minha própria lavra. Assim como nos EUA muita gente pensa que o Brasil é carnaval e selva (confrontei esse estereótipo por lá algumas vezes), a imagem que o pessoal tem dos EUA aqui também é bem restrita. Muitos amigos pensavam o que o Doug diz aqui e ficavam me perguntando isso quando eu voltei do Oregon.sdg_0183_qua310702Nesta última tira da sequência de férias inverti um fato real que aconteceu comigo. Quando fui para os EUA, em 1988/1989, o tênis Rebook era moda aqui no Brasil, além de caríssimo.  Lá, um dia, minha mãe hospedeira me levou até uma loja de departamentos para comprar um tênis para jogar basquete e adivinhem qual era o mais barato, inclusive bem mais barato que no Brasil? Só pra constar, não comprei um Rebook e sim um outro (adidas, acho) melhor, uns cinco dólares mais caro e muito bom.

Anúncios
Esse post foi publicado em Só Dando Gizada Reloaded. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s